Ler Pra Quê?

Resenha de “As montanhas cantam”, de Nguyen Phan Qué Mai

Se as pessoas estivessem dispostas a ler umas às outras e ver a luz de outras culturas, não haveria guerras.” 

É com essa premissa que nos aventuramos na indicação de leitura de hoje, “As Montanhas Cantam” uma obra envolvente da renomada autora vietnamita Nguyen Phan Qué Mai. Embora centrada na guerra do Vietnã, a trama transcende os campos de batalha, mergulhando na comovente saga da família Trân.

A Família Trân: entre guerras e cicatrizes

Iniciando com Diêu Lan e sua neta Huong em meio à guerra do Vietnã, a narrativa revela não apenas os horrores da guerra, mas também as tensões familiares causadas por negócios clandestinos e os desafios de lidar com o retorno de entes queridos da guerra. A trama revela a complexidade das relações familiares em meio a conflitos e mostra como pequenos mal-entendidos podem criar distâncias significativas.

Reforma Agrária de 1955: um ponto de virada na História

Aprofundando-se na reforma agrária de 1955, testemunhamos Diêu Lan enfrentando adversidades em busca de um lugar seguro para seus filhos. A obra retrata o sofrimento, as decisões difíceis e a resiliência diante das circunstâncias. Mesmo diante da dor, “As Montanhas Cantam” é um lembrete inspirador de que os dias ruins sempre têm um fim.

Vozes entrelaçadas: narrativas de Diêu Lan e Huong

Com uma maestria única, Nguyen Phan Qué Mai entrelaça duas vozes ao longo da narrativa: a avó Diêu Lan em 1930 e Huong a partir de 1970, ambas narrando em primeira pessoa. Essa abordagem proporciona uma visão multifacetada da história, destacando a continuidade das experiências familiares ao longo do tempo.

A intensidade dessa leitura reside não apenas na exposição crua da guerra, da violência durante a reforma agrária e do sofrimento durante a Grande Fome, mas também na exploração das complexidades familiares que pequenos mal-entendidos podem criar.

A autora

Nascida e criada no Vietnã, Nguyễn Phan Quế Mai é autora do best-seller internacional “As Montanhas Cantam”, finalista do Prêmio Literário Dayton de Paz de 2021, vencedor do Prêmio de Melhor Estreia do BookBrowse de 2020, dos Prêmios Internacionais do Livro de 2021, do Prêmio Literário PEN Oakland/Josephine Miles de 2021 e do Prêmio de Bolsa Literária Lannan de 2020 para Ficção. 

Ela publicou doze livros de poesia, ficção e não-ficção em vietnamita e inglês, recebendo alguns dos principais prêmios literários no Vietnã, incluindo o de Poesia do Ano de 2010 da Associação de Escritores de Hanói. Sua escrita foi traduzida para vinte idiomas e apareceu em importantes publicações, incluindo o New York Times. A autora possui doutorado em Escrita Criativa pela Universidade de Lancaster.

Conclusão: uma guerra além das trincheiras

As Montanhas Cantam” vai além da guerra, explorando a essência da família, resiliência e esperança. Com 336 páginas, a obra é uma imersão na cultura vietnamita, repleta de expressões locais, tradições e detalhes que enriquecem a experiência do leitor.

Confira o vídeo resenha que preparamos para você:

E essa foi a nossa indicação de leitura para os apaixonados por romances históricos, que apreciam enredos que abordam a temática dos relacionamentos familiares e também, que buscam conhecer outras culturas.

Lembre-se de compartilhar esse post com quem precisa conhecer essa história que vai arrebatar seu coração.

Mil beijos literários e até a próxima!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x