Ler Pra Quê?

HORÓSCOPO LITERÁRIO: LIVROS PARA QUEM É DO SIGNO DE VIRGEM

As pessoas nascidas sob o signo de Virgem costumam ser inteligentes, detalhistas, metódicas, organizadas, discretas e também, perfeccionistas. 

Eles são meticulosos em tudo o que fazem, prestam atenção em tudo ao que fazem, além de fazer isso de maneira cuidadosa e eficiente.

São mais centrados e buscam sempre pela perfeição. Estão sempre buscando aprender e analisar coisas novas. Isso lhes confere um ar mais crítico. Além disso, são exigentes e muito racionais.

COMO É O LEITOR VIRGINIANO?

O leitor do signo de Virgem é muito observador, ou seja, quando está envolvido com a sua leitura, ele não deixa passar nenhum detalhe. 

A biblioteca do virginiano deve ser muito organizada, começando pela ordem de cores, autores, gêneros e por aí vai. Poeira então? Isso ele nunca viu.

Eles gostam de leituras mais diretas ao ponto, divididas em capítulos, com uma trama que tenha notoriamente início, meio e fim.

Agora que sabemos o que lhes chama a atenção (o que já é bem difícil descobrir), vamos às dicas de leitura:

Recursão, de Blake Crouch

Barry Sutton é policial em Nova York e convive com a tristeza da morte da filha. Ao ser acionado para intervir em uma tentativa de suicídio, ele se depara com uma mulher que sofre da Síndrome da Falsa Memória, uma doença misteriosa que planta na cabeça de suas vítimas lembranças de vidas que elas nunca tiveram.

A neurocientista Helena Smith está desenvolvendo uma tecnologia para a cura do Alzheimer. Inesperadamente, um dos homens mais ricos do mundo se oferece para financiar sua pesquisa. Helena vê surgir a chance de propiciar um grande bem para a humanidade.

No entanto, a tecnologia que deveria salvar vidas acelera a marcha galopante do caos, gerando uma guerra pelo poder e criando recursos que começam a esfacelar a realidade. O tempo não é mais como o conhecemos, e Barry e Helena terão de se unir se quiserem sobreviver — e salvar a todos nós.

Essa obra tão impactante que teve os direitos de adaptação audiovisual adquiridos pela Netflix, que produzirá um filme e uma série baseados no livro, ambos a cargo de Shonda Rhimes.

Recursão, de Blake Crouch.

O processo, de Franz Krafka

A história de Josef K. atravessa os anos sem perder nada do seu vigor. Ao contrário, a banalização da violência irracional no século XX acrescentou a ela o fascínio dos romances realistas. 

Na sua luta para descobrir por que o acusam, por quem é acusado e que lei ampara a acusação, K. defronta permanentemente com a impossibilidade de escolher um caminho que lhe pareça sensato ou lógico, pois o processo de que é vítima segue leis próprias: as leis do arbítrio.

O processo, de Franz Krafta.

Tão insano quanto você, de Todd Hasak-Lowy

Em um dia qualquer, o pai de Darren aparece do nada às seis da manhã com um Donut e uma revelação que vira o mundo do jovem de cabeça para baixo.

Narrando suas reflexões e descobertas por meio de listas e mais listas, Darren captura com perfeição os motivos por que qualquer coisa relacionada a qualquer pessoa é:

1. Dolorosa;

2. Inevitável;

3. Ridiculamente complicada;

4. Provavelmente, e com um pouco de sorte, a coisa certa no fim das contas.

Tão insano quanto você, de Todd Hasak-Lowy.

O jogo da amarelinha, de Júlio Cortázar

Publicado em 1963, o relato de amor entre um intelectual argentino no exílio, Horácio Oliveira, e uma misteriosa uruguaia, a Maga, ao acaso das ruas e das pontes de Paris, é um marco da literatura do século vinte. 

Tão radical quanto inclassificável, a obra-prima de Júlio Cortázar mudou para sempre a história da literatura.

O jogo da amarelinha, de Júlio Cortázar.

Memórias de minhas putas tristes, de Gabriel Garcia Marquez

A história de um velho cronista e crítico musical que, em seu aniversário de 90 anos, pretende presentear a si mesmo com uma noite de amor louco com uma jovem virgem.

A obra narra as aventuras sexuais deste senhor, narrador dessas memórias, que vai viver cerca de cem anos de solidão embotado e embrutecido, escrevendo crônicas e resenhas maçantes para um jornal provinciano, dando aulas de gramática para alunos tão sem horizontes quanto ele, e, acima de tudo, perambulando de bordel em bordel, dormindo com mulheres descartáveis, até chegar, enfim, a esta inesperada e surpreendente história de amor.

Memórias de minhas putas tristes, de Gabriel García Márquez.

As sete mortes de Evelyn Hardcastle, de Stuart Turton

Dia após dia, um homem acorda em meio aos preparativos de uma festa em honra a Evelyn Hardcastle na Mansão Blackheath. Dia após dia, em um corpo distinto. Cada hospedeiro é uma nova chance de descobrir o culpado pela morte da estrela da festa, que se desvela durante o luxuoso baile de máscaras. 

Além da confusão da viagem do tempo, os segredos transbordam, e nenhum movimento é simples, pois as regras do jogo não estão claras – e reviravoltas acontecem a todo momento.

As sete mortes de Evelyn Hardcastle, de Stuart Turton.

A rede de Alice, de Kate Quinn

Neste romance histórico hipnotizante, duas mulheres – uma espiã recrutada para a Rede de Alice, esquema real que ocorreu durante a Primeira Guerra Mundial, e uma universitária americana que busca sua prima ao final da Segunda Guerra – são unidas em uma história de coragem e redenção.

1947: no caótico fim da Segunda Guerra Mundial, Charlie St. Clair é uma universitária grávida, sem marido e prestes a ser expulsa de casa por sua família. Ela também nutre uma esperança desesperada de que sua prima Rose, desaparecida durante a ocupação nazista da França, ainda possa estar viva. Então, quando os pais de Charlie a levam para a Europa para cuidar de seu “probleminha”, Charlie foge para Londres, determinada a saber o que aconteceu com a prima que ela ama como a uma irmã.

1915: Eve Gardiner quer lutar contra os alemães na Primeira Guerra Mundial. Ela recebe essa chance ao ser recrutada como espiã e enviada à França, onde é treinada por Lili, a rainha das espiãs, que gerencia uma vasta rede de informantes bem debaixo do nariz dos inimigos. Trinta anos depois, assombrada pela traição que desmantelou a Rede de Alice, Eve passa seus dias bêbada em sua casa em Londres, até que uma jovem aparece falando um nome que ela não ouvia há tempos – e a lança em uma missão atrás da verdade.

A rede de Alice, Kate Quinn.

CONFIRA O HORÓSCOPO LITERÁRIO

Essas foram algumas das nossas dicas de leitura para as pessoas regidas pelo signo de Virgem, por isso convido você a assistir o vídeo abaixo, que traz uma indicação de leitura para cada signo do Zodíaco.

Se você gostou desse conteúdo, convido você a compartilhar esse post com todos os seus amigos! 

Eu fico por aqui,

mil beijos literários e até a próxima!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x